Discos

KAMAKIRIAD – Donald Fagen – 30 Anos

Você conhece essa história e, se não conhece, vale a pena ler. Após atravessar a década de 70 encantando o mundo com seu mix de rock e jazz e suas gravações de altíssima qualidade, Donald Fagen e Walter Becker, a dupla conhecida por Steely Dan, vinha atravessando uma série de problemas pessoais, contratuais e até uma acusação de plágio.

Após o disco “Gaucho” (1980), cada um foi para um lado. Becker foi para a Ilha de Maui plantar abacates (!!!) e Fagen lançou o premiado disco solo “The Nightfly”, em 1982. Mais para frente Walter Becker voltou a trabalhar com música, tornando-se produtor e trabalhando com o grupo China Crisis.

O reencontro e retomada da amizade deu-se por intervenção do produtor e velho amigo Gary Katz, que os convidou para participar da gravação do único disco da modelo Rosie Vela, o interessante “Zazu”, lançado em 1986.    

No comecinho dos anos 90 quando Fagen resolveu gravar uma sequência para seu primeiro disco, Becker foi convidado para ser o produtor. Em Maio de 1993, ou seja há pouco mais de 30 anos, chegava às lojas “Kamakiriad”. Apesar de conter um poderoso grupo de apoio, o álbum é posto como o pior avaliado da carreira solo de Fagen, não vendeu bem como seu antecessor e geralmente é saudado apenas por ter colocado a dupla novamente na estrada e, em seguida, nos estúdios.

Por aqui afirmamos o seguinte: bullshit!!! “Kamakiriad” é absoluta e indiscutivelmente um deleite para os ouvidos. Parte do conceito de um futuro não apocalíptico em que o personagem principal adquire um carro novo, um Kamakiri (“louva-a-deus” em japonês) e parte em uma viagem contada nas oito longas faixas do LP.

Críticas negativas usualmente se concentram no fato de as músicas não sofrerem grandes modulações, como nos velhos tempos de Dan anos 70. E que muitas músicas se estruturam por longos períodos em poucos acordes.

Lá vamos nós de novo: bullshit!!! A graça de várias das faixas está exatamente em verificar como Fagen preenche os espaços. E por aqui achamos que isso se dá de modo genial, com inúmeros “comentários” de metais, teclados e guitarras. Basta ouvir com atenção as camadas de cada música. Não temos cascatas de acordes e isso é um fato. Mas os detalhes é que importam. Talvez por isso Ed Motta, em uma entrevista, tenha dito que este é um disco que ele comprou na semana que saiu, não gostou no começo, mas aos poucos passou a amar o álbum.

Fãs e críticos costumam elogiar e indicar como as melhores as faixas “Trans-Island Skyway”, “Tomorrow’s Girls” e “Teahouse on The Tracks”, além da longa “On The Dunes”, talvez por ser a que mais evoca a sonoridade da velha banda. Mas não aqui no “Vira o Disco”!! Kamakiriad na minha opinião tem que ser, obrigatoriamente, ouvido de ponta a ponta, sem interrupções, como se fora mesmo uma viagem.  

Dois vídeos ainda foram produzidos. O primeiro para “Tomorrow’s Girls”, com o ator Rick Moranis, o qual estranhamente, mas muito estranhamente mesmo, remete a “Black Hole Sun”, do Soundgarden, lançado só em 1994.  O segundo, dirigido por Michel Gondry, para a música “Snowbound”, usando técnicas de stop motion e curiosamente retratando Fagen como uma espécie de “Grande Irmão” em um cenário distópico que poderíamos chamar de “Blade Runner (ou Metropolis) for Babies”, bem distante do conceito que permeia o álbum.

Em suma, sobre os vídeos, não entendemos, mas também não importa. Por acaso deixei claro que recomendo “Kamakiriad”? Pois é, recomendo mesmo.

Créditos: Arte da capa, creditada a Carol Bobolts (design), James Hamilton (foto) e Marinella Terziotti (foto do carro).

Cristian Fetter

Cristian Fetter Mold é gaúcho mas mora em Brasília desde 1991. É advogado e professor na área de Direito de Família e Sucessões. Coleciona música em mídia física, desde os 12 anos de idade, especialmente Rock dos anos 50 a 90 e, em menor escala, Jazz dos anos 40 aos 70. É um dos criadores do Podcast "Prisioneiros do Rock" e às vezes se mete a formar bandas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *