Discos

Nimrod, o ponto de virada do Green Day?

Quando começaram a banda em 1986, Billie Joe Armstrong, Mike Dirnt e Tré Cool não imaginariam que 10 anos depois estariam surfando nas ondas e paradas de sucesso mundo afora.

Após dois discos de grande repercurssão, Dookie de 94 e Insomniac de 97, chegaria às lojas seu quinto álbum de estúdio, Nimrod. Desde Insomniac a banda tentava crescer em relação aos seus álbuns anteriores mas não parecia muito certo de como fazer isso. As letras ficaram mais sórdidas e os personagens mais depravados, enquanto a música se prendia aquela velha fórmula do pop-punk, com tempos rápidos e melodias concisas. Com Nimrod, o senso de humor juvenil de Armstrong está de volta.

Armstrong explicou que este era o álbum que ele queria fazer desde que a banda começou. Ele queria preservar a qualidade de suas composições começando cada música em um violão e depois adicionando os outros membros para uma instrumentação mais pesada e tempos mais rápidos.


Nimrod foi elogiado pela crítica pelo lirismo do vocalista Billie Joe Armstrong e contém elementos de folk, hardcore, surf rock e ska. A música também tem uma visão mais ampla, com toques de estúdio neo-psicodélicos, violão, violinos e até metais dando um toque a mais em todo o disco. O álbum alcançou a décima posição nas paradas americanas da Billboard e foi certificado com dupla platina pela RIAA (Recording Industry Association of America). Os destaques de Nimrod foram “Hitchin’ A Ride” , “Redundant” (com sua guitarras a la The Byrds), “Walking Alone”, com sua gaita melancólica, “Nice Guys Finish Last”e a memorável “Good Riddance (Time Of Your Life”), um hino folk e que mostrava onde o Green Day queria chegar.

Talvez Nimrod possa não ter sido tão bem-sucedido comercialmente quanto Dookie, mas lançou uma de suas músicas mais populares até hoje. E ainda mostrou que eles não tinham medo de experimentar seu som. American Idiot lançado anos mais tarde provaria isso.

Recentemente a banda lançou uma edição comemorativa dos 25 anos do disco (que você pode ouvir aqui) que conta com várias demos e um show ao vivo de 1997.

Vale a releitura!

Luis Fernando Brod

Oi. Sou o cara do MINHA VIDA EM VINIL e colaborador do site Disconecta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *