Discos

O acústico que definiu os Acústicos MTV

Em 23 de maio de 1997 os Titãs lançavam o Acústico MTV que revolucionou o formato no Brasil.

Com convidados especiais, faixas inéditas, arranjos pra cordas e metais e uma reinvenção completa do som da banda, o que os Titãs fizeram virou o modelo a partir de então.

Na época, tamanho sucesso parecia improvável. Os anos 1990 não vinham sendo exatamente amigáveis com a banda. Depois de três álbuns aclamados por crítica e público na década anterior, os Titãs soltaram os controversos Tudo ao Mesmo Tempo Agora (1991) e Titanomaquia (1993).

As vendas de ambos decepcionaram. Arnaldo Antunes saiu do grupo depois do primeiro, Nando Reis até hoje detesta o segundo. A correção de rumo com Domingo (1995) não foi suficiente. O prestígio já não era o mesmo e o rock nacional tampouco era igual.

Ao mesmo tempo, os acústicos da MTV Brasil ainda tateavam buscando um rumo. Os programas do Barão Vermelho e da Legião Urbana, de 1991 e 1992, tinham passado desapercebidos e não tinham saído em álbum até então.

Os Titãs apostaram então numa produção mais elaborada e funcionou. Chamaram para o show Fito Paez, Marisa Monte e Jimmy Cliff. Trouxeram Arnaldo de volta pra uma música. Gravaram as inéditas “Os Cegos do Castelo”, “Nem 5 Minutos Guardados”, “A Melhor Forma” e “Não Vou Lutar”.

Em agosto de 1997, o álbum já era o mais vendido da carreira dos Titãs. Em pouco tempo, mais de um milhão e meio de cópias foram vendidas. O disco fez tanto sucesso que os Titãs não resistiram fazer um infame volume 2, mas essa é outra história.

Filipe Silva

Metade do Prisioneiros do Rock

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *