Discos

Obrigado, João Donato.

Na madrugada deste dia 17/07 fomos surpreendidos com a notícia de que João Donato, pianista, acordeonista, arranjador, cantor e compositor nos deixou e foi brilhar em outro plano. O compositor tinha problemas no pulmão e no coração, e vinha com um quadro de sepse havia semanas, tendo sido intubado, segundo comunicado emitido pela família e divulgado pelo G1.

O acreano viveu a época de ouro da música brasileira e foi amigo de todos os expoentes do movimento da bossa nova como João Gilberto, Tom Jobim, Vinícius de Moraes e Johnny Alf, mas nunca foi caracterizado unicamente como tal, e sim um músico muito criativo e que promove fusões musicais, de jazz e música latina, entre tantos outros.

Em meados da década de 50 se muda para os EUA onde permanece por 13 anos e lá grava aquele que considero uma de suas obras primas, o disco A BAD DONATO. E é sobre ele que quero falar um pouquinho aqui. A origem deste disco é quase tão casual quanto sua biografia. Ele começou no mesmo momento em que a explosão do funk de James Brown e Sly Stone chegava e que iria revolucionar a música popular norte-americana no final dos anos 1960.

Essa explosão da música negra foi crucial para formatar uma música (e musicalidade) mais intensa. E isso só foi possível pela insistência do amigo e parceiro Eumir Deodato. Reza a lenda que a meticulosidade dos dois músicos gerou algumas brigas durante a gravação do disco, mas certas coisas precisam ser assim mesmo, ter tudo certo pra dar errado – algo que, felizmente, não aconteceu com A Bad Donato.

Já de cara o disco mostra bem essa influência da música negra, com a psychedelic/funky “The Frog“. Porém, ao longo do disco você vai ver muito de Afro Beat (“Debutante’s Ball“), música caribenha, Jazz Fusion (“Celestial Showers” e “Lunar Tune”) e Cuban Jazz (“Mosquito (Fly)“).

A Bad Donato é um disco brilhantemente funky, com temperos abrasileirados e que abriu as portas para essa psicodelia maravilhosa. O disco foi considerado um dos 100  melhores discos brasileiros pela revista Rolling Stone em 2007. E pra tirar a prova, ouça-o no link abaixo.

Viva João Donato! Viva a nossa música brasileira!

Créditos da foto: divulgação.

Luis Fernando Brod

Oi. Sou o cara do MINHA VIDA EM VINIL e colaborador do site Disconecta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *