Shows

Skamoondongos + The Toy Dolls – 16/09/2023 – Carioca Club / SP

Foto: Rodrigo Melão

5 anos, 1 mês e 4 dias após a última visita, a qual muitos imaginavam ser possivelmente a derradeira, eis que no último sábado o paulistano pôde ver, mais uma vez, um concerto da irreverente banda de punk rock The Toy Dolls
Aos que não conhecem a casa, o Carioca Club, localizado na região de Pinheiros, é uma casa originalmente direcionada ao samba. Essa origem do local talvez explique a razão dos shows começarem tão cedo, praticamente uma matinê!
Dessa vez, diferente do dia frio de 2018, o clima colaborou com o paulistano, e a tarde/noite de muito calor foi contemplada com muita cerveja, diversão e dois espetaculares shows:

Skamoondongos

O experiente octeto de ska paulistano ocupou o palco do Carioca Club com muita imponência. Um telão com animações e o nome da banda chamava atenção, mas não mais do que a sonoridade imposta. 

Apesar de muito experiente, é preciso entender que, tocar ska no Brasil, é tocar para nichos. Apesar de ser um ritmo dançante, alegre e palatável, a associação sempre é muito mais íntima aos punks. O Skamoondongos sabe disso, e pisava em terreno firme. Diante de uma plateia, que começou tímida, mas que logo foi convencida, a banda desfilou hits do ska e do ska-punk contemporâneos. 

Abrindo com “Contra!” e “Ska de Rua”, a banda passou pelos hits “Pobre Plebeu”, “Segunda Feira 13”, que levantaram a galera, além de “Ska Com Maracatú” (som que abre a primeira coletânea de Ska lançada no Brasil, em 1997, Ska Brasil). Apesar do set curto, ainda deu tempo de um cover de “Medo”, do Cólera, que agradou os punks veteranos na casa. Para quem já foi a shows da banda, não é difícil afirmar que “Eu Não Gosto de Você”, ”Ocupar e Resistir” e a cover de “Bella Ciao” são clássicos absolutos nos shows da banda. 

O som, vale dizer, estava muito adequado, num volume certo, com a importância certa para o naipe de metais, tão importantes para o estilo. Essa informação é importante, pois, o que tinha de excepcional no som do show do Skamoondongos, deixou um pouco a desejar na apresentação do Toy

The Toy Dolls

As luzes se apagam e, improvavelmente, começa “Hello”, sucesso do Lionel Ritchie. O público, punks veteranos, igualmente improvável, delira.
Era o início do concerto dos Toy Dolls!

Hello” é interrompida por um BG de “Theme Tune”, abertura do clássico álbum de estreia Dig That Groove, e o trio entra no palco, ainda ajustando os instrumentos. Toda a mise-èn-scene faz parte da fanfarronice que é um show dos Toy Dolls, e só quem assistiu um concerto desta banda sabe do que falo! Instrumentos a postos, temos o ataque de “Fiery Jack”, que imediatamente fez o chão tremer. 

Quando falo do Toy Dolls, gosto de pontuar que é uma banda veteraníssima do punk inglês, que sempre adotou humor e irreverência em seus álbuns. Além disso, é uma banda desde sempre independente. Tem álbuns lançados em todo o globo, público cativo no Brasil, mas tudo é feito na raça. Não se ouve Toy Dolls nas rádios (alguém ainda ouve rádio?), não se vê divulgação de seus álbuns pela websfera. Ainda assim, mantêm a mesma postura, desde 1979. Aliás, a produção anunciava que era uma “tour de 40 anos”, mas, na verdade, quem completou 40 anos foi o álbum Dig That Goove, Baby, mas isso é apenas detalhe.

Detalhes, também, fazem parte das apresentações da banda. Olga, o vocalista e guitar-hero da banda, comanda a plateia na mise-èn-scene: provoca propositalmente vaias da plateia, tira a roupa mostrando para exibir seu “físico de chassi de cadeira”, , distribui óculos iguais aos dele, toca com guitarra de 3 braços, faz coreografias com o Tommy Goober, o baixista, mas, acima de tudo, toca riffs e solos com a precisão de qualquer virtuoso das guitarras.
Fistcuffs In Frederick St”, “Dougy Giro”, “I’ve Got Asthma” e a hardcore “Spiders In The Dressing Room” levaram o público ao delírio. Em “Lambrusco Kid”, Olga carrega uma garrafa inflável gigante de lambrusco e promove uma chuva de papel picado – tudo era festa, afinal.

Michael “Olga” Algar, vocalista e guitarrista do The Toy Dolls, distribuindo óculos para a plateia. Foto: Rodrigo Melão
Olga, vocalista e guitarrista do The Toy Dolls, abre o lambrusco gigante para a plateia. Foto: Rodrigo Melão
Olga, vocalista e guitarrista do The Toy Dolls, chuta longe o inflável lambrusco gigante. Foto: Rodrigo Melão
A guitarra de 3 braços e a coreografia de Olga e Tommy Goober, guitarrista e baixista do The Toy Dolls. Foto: Rodrigo Melão

A mais famosa das músicas da banda, “Nellie The Elephant”, foi entoada por todos, e Olga olhava a plateia, satisfeito. Uma das minhas favoritas da banda veio na sequência, “She Goes To Finos”.
No encerramento, a banda entregou clássicos como “Dig That Groove, Baby”, “Glenda And The Test Tube Baby” e “Idle Gossip”.

O pecado, porém, foi o som estar baixo – ainda mais comparado com a excepcional execução do Skamoondongos. Tudo muito ajustado e audível, mas muito baixo. 

Minha sugestão: em 2025 o segundo álbum da banda, A Far Out Disc, também completará 40 anos.

Que venham os Toy Dolls mais uma vez, para mais uma festa.

Rodrigo Melão

Rodrigo “Melão” Camargo é pai da Victória, tutor da Padmé e casado com a Cibele, não necessariamente nessa ordem. Beatlemaníaco, Corinthiano, cozinheiro de urgências, ávido consumidor de música, filmes e séries. Às vezes um cara legal, às vezes letal. Escreve semanalmente no Instagram @prazeresplasticos. Escreve também para o site URGE (urgesite.com.br). Trabalha no setor de Telecomunicações há 25 anos, mas formou-se em Comunicação Social, talvez no intuito de manter acesa sua vontade de escrever sobre suas paixões.

2 thoughts on “Skamoondongos + The Toy Dolls – 16/09/2023 – Carioca Club / SP

  • Belíssima resenha!
    Foi a primeira vez que pude assistir um show do Toy Dolls, banda que marcou minha adolescência!
    Carioca Club ferveu, hehehehehehe!

    Resposta
    • Rodrigo Melão

      Bom que esteve lá, João!
      De fato foi um baita showzaço!

      Resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *