Discos

Some Girls – 45 anos

O décimo quarto álbum dos Stones, contando a discografia britânica, completa hoje 45 anos. Um dos mais sólidos lançamentos da banda nos anos 70, foi gravado no  extinto estúdio Pathé Marconi, em Paris.

         Analisando em retrospectiva, a banda não estava com bons números. Seu último disco bem cotado, havia sido “Goat’s Head Soup”, de 1973. Os dois LP’s seguintes, lançados em 74 e 76, embora tenham atingido o nº 01 nos Estados Unidos e 02 no Reino Unido, não tinham ido tão bem em outros países.

         Ademais, o próprio rock and roll andava em baixa, pois o mercado estava dominado pela disco music, sem mencionarmos que, sobretudo na Inglaterra, o punk vinha forte também e os “velhos” roqueiros dos anos 60 sofriam com as críticas e preconceitos.

         Mas Jagger e Richards, agora com Ron Wood sendo considerado membro oficial da banda, além da cozinha absurdamente competente de Wyman e Watts, resolveram “colocar os pontos nos is” e soltaram no mercado uma excelente coleção de canções, o que resultou no disco mais vendido da banda nos Estados Unidos, contabilizando, no ano 2000, seis milhões de cópias.

         O álbum abre com um olho no rock e outro na disco. “Miss You” é uma beleza. Riff certeiro, envolvente, uma espécie de rap no meio, solo incrível. Música obrigatória para muitos shows vindouros.

         Depois vem um rock tipicamente stoneano, “When the Whip Comes Down”, com uma boa estrutura que mantém o ouvinte ligado. Para lembrar que os Stones são excelentes em covers, temos a excelente “Just My Imagination”.

         A polêmica “Some Girls” vem logo na sequência. Letra complicada, mil controvérsias… White girls they’re pretty funny, sometimes they drive me mad, Black girls just wanna get fucked all night, I just don’t have that much jam. Mick pega pesado, e olha que ele nem tinha feito aquela visita ao Brasil…aquela… você sabe.

         A rápida “Lies” fecha o lado A, sem comprometer. O Lado B abre com “Far Away Eyes”, em uma levada country e “Respectable” segura bem a onda. Keith Richards tem seu momento lead vocal, com uma das melhores músicas que já cantou em um álbum dos Stones – “Before They Make Me Run”.

         A boa balada “Beast of Burden” e a correta “Shattered” fazem o fecho.

         Na edição comemorativa, lançada em 2011, dupla com um CD inteiro de músicas inéditas extraídas das sessões de “Some Girls” (pois é assim que se faz um bônus, certo?), destaque para “Claudine”, uma “homenagem” à cantora Claudine Longet e o complicadíssimo caso do assassinato do esquiador olímpico, e seu namorado à época, Vladimir “Spider” Sabich. Conhece essa história? Vale a pena conhecer.

         O disco ainda não seria o próximo número 1 dos Stones no Reino Unido, mas logo a banda daria um jeito nisso. Assunto para um próximo post.   

Cristian Fetter

Cristian Fetter Mold é gaúcho mas mora em Brasília desde 1991. É advogado e professor na área de Direito de Família e Sucessões. Coleciona música em mídia física, desde os 12 anos de idade, especialmente Rock dos anos 50 a 90 e, em menor escala, Jazz dos anos 40 aos 70. É um dos criadores do Podcast "Prisioneiros do Rock" e às vezes se mete a formar bandas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *