Discos

The Tipping Point – Tears For Fears

O significativo retorno do duo pop inglês, após dezoito anos

2022. Ano que simbolizou uma mudança de direção. Estávamos saindo de uma inédita, e assustadora, pandemia mundial de COVID-19. Eram os primeiros passos de uma “nova forma de viver”. Mas porque relembrar isso, você pode me perguntar? Porque o disco que vou comentar tem justamente o nome de “Ponto de Inflexão”, ou seja, o ótimo “The Tipping Point” do Tears For Fears.

A capa de The Tipping Point, do Tears For Fears. Arte de Cinta Vidal (cintavidal.com)

Esse é um paralelo interessante. O nome propõe uma mudança de rota, de via. Para o “novo normal” era mais que certo que essa mudança aconteceria, e segue acontecendo! Mas o duo inglês nesse disco nos apresenta justamente o contrário. É o bom e velho Tears For Fears com suas canções de refrãos fáceis (“Break The Man“), melodias harmoniosas (a própria faixa título do álbum além de “Rivers of Mercy“) e as vozes mais que aclamadas de Roland Orzabal e Curt Smith nos levando de volta aos anos clássicos do Tears for Fears com um clima nostálgico, de fazer lembrar outros álbuns como “The Seeds of Love” ou “Songs From The Big Chair” em músicas como “My Demons“, “Master Plan“, e a balada “Please Be Happy“.

Apesar de parecer tudo muito lindo, um fato permeia a gravação desse disco: o falecimento da esposa de Orzabal, em 2017, foi uma das tônicas do processo de criação das músicas e também de gravação do disco. Caroline Orzabal era alcoólatra, passou por um tratamento que não permitia o uso de álcool, como o próprio Orzabal falou ao The Guardian após o lançamento do álbum. Compor para esse disco foi uma das formas de lidar com a perda de sua parceira. E eis mais um ponto de inflexão no caminho desse álbum.

Tears For Fears. Fonte: Divulgação / Chris Pizzello

Para dias pós pandêmicos, um disco moderno, feito no seu tempo, mas que tem um charme e um toque oitentista na medida certa! Pra reviver os grandes dias dessa banda, que muitos torcem o nariz, mas não resistem ao clássico: “Xau, Xau, lerieourau!!

Termino dizendo que, se é preciso mudar de rota, olhar pra trás e trazer boas referências é mais do que justo e faz muito bem! “Por favor, seja feliz” e bom divertimento!

FICHA TÉCNICA

Ano: 2022
Gravadora: Concord Records / Universal Music
Faixas: 10
Tempo Total: 42:25
Produtor: Tears For Fears / Charlton Pettus / Florian Reutter / Sacha Skarbek
Destaques: “The Tipping Point”, “Please Be Happy”,”Master Plan”, “My Demons”
Pode agradar fãs de: pop rock, indie rock, electropop, Depeche Mode, Radiohead

Rafael Mathias

Rafael Mathias, 44 anos, osasquense com orgulho, marido da Fernanda, pai da Sofia e do Joaquim, roqueiro por paixão, eclético por vocação. Trabalha na área de eventos como operador de teleprompter há 13 anos, inclusive operando para muitos cantores que vocês podem gostar e nem sabem que usam teleprompter pra lembrar as letras.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *